Assim chegou Setembro

Assim chegou Setembro,proscrito e vilão
Vomitando seus perfumes inscritos no semblante de cada
Desfolhar incorporado nas páginas desta solidão colidindo
Frontalmente com as saudades mais reclusas e mirabolantes

Insondáveis se tornaram nossos sonhos reveladores de uma
Ilusão cadastrada na memória dos tempos…tutorando este
Silêncio baldio onde com  juras de amor estimulante nos
Embebedamos com resquícios de muitas desilusões passeando
Nestes versos sedados por instintos tão acutilantes

Ansioso ficou o silêncio despoletando um mítico
Eco onde se recreiam paixões e ilusões frenéticas
Sussurrando ante a brisa felina varrendo a noite
Que se despe inteira, bravia e parentérica

Ficou ali imunizada e sem jeito a saudade mais solitária
À mercê de uma faúlha de amor mastigando cada
Melancolia cuidadosamente embrulhada numa
Sofreguidão de abraços que te deixo encalhados
Em beijos apetecíveis e esmerados

Foi-se assim Setembro para sempre mobilando
A saudade emparelhada na carpintaria do amor
Onde se reconstrói cada parcela de desilusão colorindo
As aduelas desse sorriso mesclado de desejos e tanta paixão

FC

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s