Antídoto para uma lágrima

Que antídotos fabricamos para a tristeza
Quando em lágrimas ela apenas cimenta
A solidão que se agiganta e suscita tanta incerteza?

Que lágrimas derramarei em minha poesia que
Pranteia dentro destas palavras destras descobrindo
Todas as transparências da noite maestra orquestrando
Soluços vestindo a pilastra do tempo quase amestrado

Prostra-se uma lágrima num rol de memórias iletradas
Emplastro deste vocabulário sedimentado numa palestra
De ilusões derradeiras e cadastradas

Assim expus o silêncio confinado, maltratado
Desventrando paixões que ficaram incrustadas
Numa lágrima linchada, vagueando na antecâmara das
Confissões mais compenetradas

FC

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s