Clave do tempo

O tempo subiu alguns degraus até alcançar
Uma constelação fugidia enquanto o silêncio
E a solidão se aprontam iluminando o caminho
Peregrino caligrafado num ímpeto quase Divino

Na pauta do silêncio escrevi o cântico
Dos meus lamentos
Desenhei na clave do tempo a desordem
Acústica remasterizada a cada momento

Onde enxugo meus prantos perscruto
A noite escapando de mansinho cortejada
Pelos beijos que de ti agora e sempre recruto

A lua desnuda-se em gomos de luz estérea
Despeja toda a ilusão tecida na lamparina
Das nossas emoções ardentes e feéricas

FC

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s