Tempo bipolar

Vou-me embora como o dia
A morrer por ali afora
Esvai-se a solidão em prantos
Enobrecendo a noite que nasce
Trajando cada gomo de luz que feliz acalanto

Sobram as sombras de uma penumbra
Envergonhada apregoando a retórica das
Palavras patriotas anunciando o protocolar
Evento nupcial do tempo onde alinhavo meu
Vocabulário apaixonante e bipolar

Formosa e briosa espreita a brisa ventosa
Assola meus sonhos que bailam no vento
Que venta desola e extrapola
Ateia a formosa chama viçando apaziguadora
Desvenda-nos numa carícia tenaz e avassaladora

É consoladora como a imutável manhã irrequieta
Ceifando a selecta e movediça luz, até o silêncio
Escancara usurpa e despoleta despindo-se indelével
Num suplício de prazeres inescusáveis onde me
Lambuzo de desejos imprescindíveis e inenarráveis

Deixo cada flagelada sombra despir seu esqueleto
Mergulhando no relapso momento de tempo onde
Brindo este meu desejo mais fecundo incrustando
Na esfinge da vida todo momento inacabado e quântico

Jaz no roteiro dos meus fiéis pressentimentos toda a
Perpetuidade deste tempo que extradito enamorado e
Romântico, condecorando a desmedida alegria que revive
em cada molécula faminta de amor povoando o apogeu
de todas as memórias germinando ágeis e expeditas

FC

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s