Desmascarando o tempo

Tenra nasce a manhã harmonizando
Cada galho de tempo primaveril
Colhendo aquela subtil cor que perfuma
O cardume de sonhos rompendo pelo
Peitoril da vida generosa e febril

Sussurra-me o tempo numa cruel e imparável
Fuga pelo tempo
Agigantando os devaneios sentados à penumbra
De um silêncio viril e indecifrável

Esmerou-se a noite despindo-se em fatias de horas
Lânguidas bailando na indigente escuridão que jaz
Agora olvidada, insaciável…insuperável
Mordendo os calcanhares a cada sonho escapulindo
Neste instante de tempo correndo…correndo inexorável

Desmascarei por fim o oxigenado momento da vida
Onde deambulo desbravando a milimétrica hora
Magnificente orquestrando os destinos de um desejo
Minucioso gerado, corroborado…auspicioso

A alma por fim escudou-se no baú das minhas saudades
Fertilizando cada memória cativa habitando o afrodisíaco
Desejo mais ritualista dissimulando os seres que se geram
Excêntricos graciosos telepáticos e maníacos

FC

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s