Amor mais profundo

Amenizei o tempo pousando como pluma
Nos cílios do teu olhar
Amaciei a madrugada despontando ígnea
Magistral enxugando toda a brisa leve
Levemente abrindo a aurora do teu sorrido
Que quero compartilhar

Impregnado e grávido nasceu o silêncio
Alvorecendo às varandas desta solidão
Onde descanso refastelado dentro do pomar
Fértil da vida…fruto do ventre que amamenta
Aquele incontido pranto que quero vasculhar

E se a noite tingisse de breu o teu ser
Confiscava à lua um raio imarcescível de luz
Para iluminar e embebedar-te com minha
Exultante alegria
Transformava todos os trilhos do mundo em pavimentados
Passos de dança enamorados desfilando na alfaiataria
Da vida recriada com tanto frenesim e histeria

Amor mais profundo foi consumido desnudado
Ficou sem indumentária
Trajou-se de lamentos quase hipocondríacos
Desfaleceu deixando esculpida na alma a ergometria
Do tempo viajando infindo, penoso, com uma volumetria
De beijos diria tão afrodisíacos

Amor mais profundo acelera até meu
Ritmo cardíaco
Deixa os subúrbios da saudade e reveste-se
Para sempre do teu ser onde me aconchego no
Ambulatório deste sonho quase orgíaco e fecundo

FC

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s