Cartel dos desejos

Olhando-te neste gesto alucinado
Desafogo a matreirice dos desejos
Num febril verso ousado desnudando
A textura de um olhar guloso e tão fascinado

É como esconder da alma o sonho ou tentação
De um desejo lambendo a sedenta carícia maquinada
numa dose de adrenalina frenética estimulando a
Brejeira ilusão saltitando assim desatinada

Vulnerável se tornou a existência das palavras
Encarceradas no berçário dos sonhos flagelados
Deslumbramento de uma cumplicidade sustenida
Tingindo a alma de acordes e beijos
Fantasticamente orquestrados

Conheci como defenestras os perfumes que roubas
No musical momento onde dissecamos
Cada lamento umbilical
Harpejo dos nossos sentidos deambulando
Consolidados num perdão assim tão radical

Atados à depilante madrugada que se avizinha
Envernizamos a luz mortiça penteando cada
Sombra enlutada alimentando em ladainhas
O ousado e febril prazer que só tu adivinhas

Palavra por palavra empresto-te o cartel
Dos meus desejos galopando em acrobacias
De erupções majestosas incandescendo até
A noite que se delonga imune aos suculentos
Ais que me deixas-te rebitados neste verso
Rebelde esfacelado…sinais eu sei,somente
Do meu desalento

FC

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s