Coisas invisíveis

Já ninguém lá estava…
Quando busquei a existência
na imensidão da minha saudade
assim já de si insatisfeita e
envelhecida na casta de todas as
perenes vontades
De tudo quis colher e lembrar,
mas apenas alimentei
com o silencio reverberando
um eco supremo bramindo na alvorada
que se aparta em comoção
…afinal já lá ninguém estava
senão nossos sonhos eclodindo
em cada memória póstuma
pelas colinas do tempo escapulindo

FC

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s